The blog is asleep

As you may have noticed, I haven’t posted in my blog for quite some time. As of now I don’t have the time or patience to maintain it anymore. So consider it as being asleep until I change my mind.

I might eventually replace it with a plain HTML + CSS + JavaScript webpage that presents myself to the world. Either that, or I’ll keep WordPress running with all the blog posts around but at the same time re-imagining it with that same purpose of presenting me.

Once I have any news I’ll let you know. In the meantime, just check my other online presences under the social menu on the top of this page. As of the time of this post I’m mainly using Facebook, but also Tumblr to share a few things (mostly music from Spotify). Check them out if want 😉

Thanks for reading this.

P.S.: Any new content will most likely be written in English. The old content will be kept in Portuguese. Also, if you are better English speaker than me (e.g., a native speaker) feel free to leave any comment pointing mistakes that I’ve made. I always want to further improve my English.

 

Google+

A Google lançou a sua nova rede social. Esta é a sua 4ª tentativa de criar uma rede social com sucesso.

Antes do Google+ tivemos o Orkut, originário da Turquia e depois comprado pela Google, que nunca teve muito sucesso a não ser no início no Estados Unidos e actualmente apenas na Índia e Brasil. Depois do Orkut veio o Google Wave, que apesar de não ser uma rede social pura tinha algumas componentes sociais importantes e, mais uma vez, foi um fracasso total. Mais recentemente tivemos o Google Buzz que basicamente é um super Twitter integrado no Gmail, tendo também tido um sucesso muito limitado (e alguns problemas de privacidade no ínicio).

Mas a Google não se deixa abater. Apresentou ontem o Google+ como a sua nova aposta para destronar o Facebook. A implementação parece bastante interessante mas será que vêm a tempo? Só o tempo o dirá… Para já a rede social apesar de imatura parece fornecer a maioria das funcionalidades básicas de uma rede social e introduz alguns novos conceitos interessantes (a nível de controlos de privacidade e comunicação, bem como de video-chamada), bem como se integra com produtos já existentes da Google, como os álbuns do Picasa e mensagens do Google Buzz.

Para conhecerem melhor esta nova rede social aconselho que sigam a “tour” e que se registem com a vossa conta Gooogle aqui.

Podem também ver os seguintes 10 vídeos que falam das novidades e capacidades desta rede social:

Links: Google Plus

Blogger Dynamic Views

O Blogger está a preparar imensas alterações para o ano de 2011. Depois do vídeo comemorativo do sucesso do Blogger até 2010, em que tivemos um “sneak peek” ao que virá de novo durante o corrente ano, eis que chegam mais imagens e demos do futuro do Blogger.

Desta vez é um novo estilo de tema, chamado “Dynamic Views”, que permitem visualizar o conteúdo de um blog de forma muito dinâmica, rica e com um estilo moderno.

Será que hoje há greve?…

… É isso que um pequeno website desenvolvido por João NevesCarlos Fonseca vos permitirá saber de forma mais simples.

O Hoje há greve? é extremamente útil para quem utiliza diariamente transportes públicos para se descolar para o emprego, escola, etc., nestes tempos em que é mais comum que se faça greve do que as coisas funcionem normalmente.

Poderá então neste website consultar que greves se encontram agendadas para os próximos dias, para que possa planear a sua vida da melhor forma.

Caso tenham alguma dúvida devem contactar: info@hagreve.com

Se por outro lado têm informações ultra-secretas sobre um futura greve que pretendem comunicar às restantes pessoas: submeter@hagreve.com

Mozilla Firefox 4.0

Não podia de deixar de assinalar aqui no blog o lançamento oficial do Mozilla Firefox 4.0. O segundo browser mais usado no mundo actualmente. Apesar de há coisa de quase um ano ter migrado para o Google Chrome, tenho que admitir que esta nova versão volta a tornar o Firefox um browser mais actual e competitivo. No entanto, esperemos que os planos da Mozilla de tornar o desenvolvimento mais ágil se concretizem e que possamos ter novas versões num ciclo de cerca de 3/4 meses em vez de 12 a 18 meses como actualmente.

Entretanto para quem se queira informar ou experimentar fica em cima o vídeo oficial de apresentação do Firefox 4.0 e em baixo alguns links úteis para fazerem o download e explorarem as novidades introduzidas nesta versão.

Façam Download em:

Vejam as novidades em:

Opera Mini 6 & Opera Mobile 11

Hoje a Opera anunciou os seus novos browsers para dispositivos móveis.

O Opera Mobile 11 e o Opera Mini 6. O primeiro é um browser completo para a web em dispositivos móveis com mais capacidades e o segundo é uma alternativa lightweight para telemóveis mais simples (e força o uso constante do modo “Opera Turbo” que comprime as páginas e as optimiza do lado dos servidores da Opera para visualização no ecrã do telemóvel).

Já instalei no meu Nokia 5800 XpressMusic mas como onde estou só há internet wireless via eduroam e a configuração de dispositivos Symbian são uma dor de cabeça neste tipo de redes, e formatei-o à pouco tempo, não tenho forma gratuita de o testar. Mas mais logo quando estiver em casa já testo e se houver algo de relevo a adicionar actualizo este post.

Opera 11.10 Beta

Ainda ontem falei de browsers, e entre estes falei do Opera, e hoje lançaram a versão Beta do Opera 11.10.

No geral podemos contar um design ligeiramente refinado face à versão 11.0x, suporte a mais umas propriedades CSS3, e melhoramento da gestão de plugins (nomeadamente a auto-instalação do Adobe Flash Player).

A funcionalidade visível em destaque, e descrita no vídeo deste post, é o novo speed-dial que se torna mais flexível que a implementação anterior. A meu ver ainda precisa de ser limado em algumas arestas mas de resto acho que é uma mudança para melhor.

Para acederem a esta versão visitem:
http://www.opera.com/browser/next/

Internet Explorer 9 e considerações sobre browsers

A Microsoft lançou no último dia 14 de Março de 2011 a versão 9.0 do Internet Explorer. Tive o prazer de utilizar a versão Release Candidate por uns dias e finalmente a Microsoft criou um browser minimamente decente tendo com conta os restantes browsers no mercado actual.

No entanto, para mim, neste momento apenas existem 3 browsers que eu recomendo:

  • Firefox 4.0 (actualmente em Release Candidate mas já recomendo em relação à “velhinha” 3.6)
  • Chrome 10 ou superior
  • Opera 11

Qualquer um destes é um browser completo e compatível com os últimos standards. O Internet Explorer 9 apesar de se aproximar do pelotão da frente continua algo limitado (na minha opinião). Para além de ainda não suportar tão bem os últimos standards emergentes (mas suporta os mais importantes), não suporta vídeo WebM nativamente, não tem um sistema de add-ons/extensões digno desse nome, não tem spell-checker, e a lista continua. Mas comparativamente ao IE8 é um grande passo em frente suportando bastante melhor os standards actuais (finalmente suportando CSS2 na totalidade) e já suportando as partes mais importantes de HTML5 e CSS3. Tem também aceleração do rendering das páginas por hardware aproveitando a potência latente da placa gráfica do utilizador para acelerar a experiência na web.

Para além dos browser referidos temos ainda o Safari. Sinceramente em Windows acho que é um browser medíocre, sendo bastante pesado e pouco agradável em termos de interface, tal como todos os produtos de software Apple feitos para Windows (como o iTunes). Em Mac OS X acaba ser como o IE9 no Windows, ou seja, é o browser default do sistema operativo mas existem melhores alternativas.

Com isto tudo chegamos também a uma questão importante para quem faz desenvolvimento de aplicações web e especialmente web design. Que browsers devo suportar? Para começar vou listar os browsers que me dou ao trabalho de ir testando com alguma regularidade se suportam correctamente as páginas que desenvolvo:

  • Internet Explorer 7 (via emulação do Internet Explorer 9)
  • Internet Explorer 8 (via emulação do Internet Explorer 9)
  • Internet Explore 9
  • Chrome 10
  • Firefox 3.6
  • Firefox 4.0
  • Opera 11
  • Safari 5 (normalmente testar no Chrome garante que funciona sem problemas no Safari pois este usa o mesmo motor de rendering das páginas no entanto muito de vez em quando lá testo no Safari em Windows)

A meu ver esta lista cobre quase a totalidade dos utilizadores actuais da Internet, pelo menos em Portugal, Europa, América de Norte e países minimamente desenvolvidos no geral. Um browser que muita gente ainda tenta suportar é o Internet Explorer 6 mas na maioria dos países já não tem expressão suficiente para compensar o enorme trabalho adicional de contornar as suas “pancadas” e falta de suporte para standards. Já o Internet Explorer 7 me costuma dar altas dores de cabeça, especialmente a trabalhar com selectores CSS com posicionamentos relativos, e na minha opinião devia ser abandonado tão cedo quanto possível.

O Internet Explorer 8 foi o primeiro com o mínimo de suporte para standards e que “regra geral” funciona correctamente quando tudo está de acordo com os standards e funciona bem nos restantes browsers da concorrência. E visto que está disponível gratuitamente do Windows XP, Vista e 7 (e que mesmo para versões piratas dá para instalar sem problemas com o Windows Genuine Advantage) não percebo porque é que toda a gente não actualiza para esta versão. A única excepção que admito são as empresas que tenham aplicações web antigas e/ou feitas especificamente para funcionar no IE6. Para estes caso a Microsoft devia “forçar” (ou pelo menos recomendar veemente) a actualização para o IE8 e disponibilizar uma versão stand-alone do IE6 SP3 para utilização em aplicações legacy. É de louvar medidas como a existência do site “Internet Explorer 6 Countdown” mas é uma posição algo passiva ficar a olhar para o market share a descer e nada fazer para tentar forçar a sua redução a não ser falinhas mansas.

O Internet Explorer é mesmo caso único de longevidade de versões. Para todos os outros browsers é suficiente suportar a última versão estável e quanto muito a anterior a essa versão durante algum tempo depois do laçamento de uma nova versão estável (como é o caso do Firefox 3.6 agora que vai sair o 4.0 dia 22 de Março que pretendo suportar mais 6 meses pelo menos ou quando o Market Share cair para valores residuais). Já o Chrome tem um auto-update tão agressivo que basicamente uma semana depois de sair uma nova versão stable já ninguém está a usar a stable anterior. E o Opera e o Safari também avançam rapidamente em termos de uso de uma versão stable de uma para outra.

Aqui ficam alguns dados da StatCounter para contextualizar as minhas afirmações e decisões:

Statcounter-browser_version-af-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-an-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-as-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-eu-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-cn-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-na-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-oc-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-sa-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-ww-weekly-201109-201110-bar
Statcounter-browser_version-pt-weekly-201109-201110-bar

Outros dados que podem servir de suporte a estas decisões são os valores worldwide da NetApplications (que infelizmente não são tão optimistas como os da StatCounter) e podem ser consultados aqui: StatCounter March 2011

UptimeRobot

Media_http6mshcdncomw_ileta

Recentemente andei à procura de uma serviço que me permitisse estar de olho nos sites que administro sem ter que estar constantemente a verificar manualmente. Então decidi “googlar” e encontrei uma selecção bastante interessante feita pela Mashable: http://mashable.com/2010/04/09/free-uptime-monitoring/

Experimentei vários mas o melhor, quer pela simplicidade de uso quer por apresentar poucas limitações na versão free, foi o UptimeRobot: http://www.uptimerobot.com/

Dá mesmo muito jeito receber um e-mail sempre que um dos meus sites vai abaixo e quando volta ao normal. Assim é possível resolver o problema mesmo antes do utilizador final se aperceber. O UptimeRobot permite monitorizar 50 sites em simultâneo que são verificados de 5 em 5 minutos.

Pode também ser útil para saber se o vosso fornecedor de alojamento realmente cumpre o Uptime anunciado quando subscreveram o serviço, visto que o Uptime Robot também calcula o uptime médio do site, sendo que 100% é SEMPRE online 😛

Bem espero que tenham gostado da “dica”.

20 Things I Learned About Browsers and the Web

Media_httpwww20things_arhhh

Um e-book da Google que explica de forma simples (tipo livro infantil) e concisa algumas coisas interessantes sobre browsers e o funcionamento da Web no geral.

Ler aqui: http://www.20thingsilearned.com/